Blog

A maneira como seu filho brinca oferece pistas importantes sobre seu desenvolvimento

17/05/2019

Quando brincamos com nossos filhos, podemos avaliar uma série de fatores que indicam ou não prejuízos na comunicação, na interação social, nos comportamentos e no desenvolvimento neuropsicomotor da criança, dando pistas importantes sobre a possibilidade de eventuais condições do neurodesenvolvimento como autismo entre outras.

Durante o brincar podemos observar, por exemplo:

– A capacidade de dar funções adequadas aos brinquedos e utensílios;

– Falhas na imaginação, na capacidade de abstrair, de imitar, de brincar de “faz-de-conta”;

– Preferência por um único brinquedo ou determinada brincadeira;

– Se há dificuldade em compartilhar brincadeiras especialmente se houver crianças da mesma idade, se demonstra prazer em brincar com o “outro”;

– Se apresenta preferência por brincar sozinho e isolado dos demais;

– Dificuldade em compreender jogos, regras e comandos;

– Se há habilidade em nomear e dar significado aos brinquedos, brincadeiras;

– Se reconhece seu nome e atende quando chamado;

– Repertório verbal. Se a criança ainda não tiver desenvolvido a comunicação verbal, podemos observar sua comunicação não verbal como apontar para o que quer, gesticular com intenção comunicativa;

– Se reconhece partes do seu corpo ou de um boneco ou “bichinho”;

– Conseguimos observar questões de coordenação motora fina e grossa durante brincadeiras como encaixes, quebra-cabeça, quando brincam de “comidinha”;

– Atividades de colorir, desenhar nos dão pistas motoras e podem nos auxiliar no entendimento da relação da criança consigo mesma e com seu universo;

– Se consegue alternar de uma brincadeira para outra sem se mostrar irritada com mudanças repentinas;

– Presença ou não de estereotipias;

– Podemos ainda observar questões de hipersensibilidade, se a criança tem, por exemplo, problemas com texturas, temperaturas, cores, odores, ruídos do ambiente;

– Se é desatenta ou apresenta hiperfoco (quando se concentra demais em determinada atividade com dificuldade na atenção compartilhada);

– Como a criança senta, se levanta, anda, corre também nos fornece dados relevantes sobre seu desenvolvimento, tônus e força muscular, coordenação, propriocepção ( ex.sentar em W, marcha na ponta dos pés ou com base alargada);

– Alterações visuais, táteis, auditivas, gustativas também podem ser avaliadas em uma brincadeira;

– Agitação e inquietude excessivas, impulsividade, agressividade são comportamentos que facilmente ficam evidentes, se presentes, durante uma brincadeira.

Você ainda tem dúvidas do quanto é importante brincar com seu filho?! .

Além de oferecer pistas sobre o desenvolvimento da criança, o brincar é uma importante ferramenta terapêutica. Durante a brincadeira (dirigida ou não), conseguimos fazer com que a criança desenvolva muitas habilidades e autonomia, além de reforçar o vínculo entre pais e filhos.

Mamães e papais, no momento de brincar com seus filhos, estejam inteiramente com eles e desfrutem desse momento de intenso amor e aprendizado!!!

Dra. Deborah Kerches

Dra. Deborah Kerches
Neuropediatria e Saúde Mental Infantojuvenil
Especialista em Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Últimas publicações

Cefaleia na infância e adolescência

Cefaleia na infância e adolescência

A cefaléia (dor de cabeça) é uma das queixas mais comuns da infância e adolescência. Elas deixam de brincar, querem ficar em um quarto escuro, deitadas, parecem indispostas, cansadas e podem apresentar náuseas e vômitos. O impacto das cefaleias crônicas, como a...

ler mais