Blog

Como a neurociência explica as birras?

03/03/2021

As birras fazem parte do desenvolvimento da criança e são uma maneira de a criança “dizer algo” que ainda não sabe como, porque não tem maturidade cerebral para lidar e expressar de outra maneira suas emoções, como, por ex., raiva, medo, cansaço, fome, sono, entre outras.

Especialmente até os 4 anos, a criança usa mais seu cérebro primitivo, reagindo emocionalmente a situações estressantes com repostas mais instintivas, imediatas, de sobrevivência. À medida que os anos vão passando, a região mais anterior do córtex pré-frontal vai amadurecendo, conferindo maior capacidade de pensamento crítico, reflexivo, de planejamento e solução de problemas; e é somente por volta dos 25 anos que a parte mais racional desta região estará completamente amadurecida. Somado a isso, na primeira infância, as crianças nem sempre apresentam repertório verbal necessário para expressar suas emoções ou conseguem nomear seus sentimentos. Lidar com frustrações e contornar problemas é, assim, mais difícil, e a forma de se expressar passa a ser através de birras.

Precisamos, porém, estarmos atentos a episódios de birras excessivas que podem estar associadas a transtornos do neurodesenvolvimento.(GOUVEIA, 2009).

Diante de uma birra, precisamos ajudar a criança em vez de simplesmente repreendê-la. Nem sempre é fácil. Os esforços devem ser no sentido de ajudar a criança a se acalmar, lembrando que ela não costuma conseguir fazer isso sozinha. O ideal é levar a criança para um espaço onde ela possa se expressar e se acalmar. Se possível, redirecione a atenção para outra coisa. Olhe nos olhos, não aja com agressividade, nem diga nada negativo. Se possível, negocie. Se souber que algo pode desencadear birra, antecipe, explique de maneira que ela possa compreender.

Seja sensível, lembre-se que a criança não tem habilidades de autorregulação emocional, e, portanto, depende das suas. Quando temos essa consciência, conseguimos olhar com mais sensibilidade para nossas crianças e nos desligarmos um pouco mais dos “olhares alheios”, com tranquilidade e maior entendimento.

Dra. Deborah Kerches

Dra. Deborah Kerches
Neuropediatria e Saúde Mental Infantojuvenil
Especialista em Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Últimas publicações

Capacitismo

Capacitismo

Capacitismo é a discriminação e o preconceito social contra pessoas com alguma deficiência. Em sociedades capacitistas, a ausência de qualquer deficiência é vista como “o normal”. Em tempos em que se prega tolerância, neurodiversidade e inclusão, parece um...

ler mais
Puberdade em meninos no Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Puberdade em meninos no Transtorno do Espectro Autista (TEA)

A puberdade é o processo que leva à maturidade sexual e capacidade de reprodução. Em meninos, começa entre 10 e 14 anos e dura por volta de 3 anos. Compreender e lidar com as transformações desta fase, não é tarefa fácil e pode ser ainda mais desafiador para os...

ler mais
Puberdade em meninas com TEA

Puberdade em meninas com TEA

A puberdade é o período de transição da infância para a fase adulta, marcada por diversas transformações físicas, hormonais, emocionais e de maturação do sistema nervoso central. Em meninas, cerca de 2 a 2,5 anos antes da menarca, o corpo já começa a se transformar....

ler mais
Prevenção ao suicídio no Transtorno do Espectro Autista

Prevenção ao suicídio no Transtorno do Espectro Autista

No contexto do Setembro Amarelo, é essencial destacarmos que adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA) apresentam 11 a 14% mais chances de tentativas de suicídio e suicídio propriamente dito quando comparados aos pares com desenvolvimento típico. Um fator...

ler mais
O que é Motricidade

O que é Motricidade

A motricidade é a expressão dos movimentos e vai se construindo desde o nascimento. Envolve o ato motor, planejamento motor, percepções sensoriais, equilíbrio, tônus e força muscular, lateralidade, habilidades cognitivas e intelectuais, ritmo, persistência e controle...

ler mais
Deficiência Intelectual e Transtorno do Espectro Autista

Deficiência Intelectual e Transtorno do Espectro Autista

Deficiência intelectual ou Transtorno do desenvolvimento intelectual é caracterizado por funcionamento cognitivo e intelectual que não correspondem à média esperada. Aproximadamente 30-40% das pessoas que estão no espectro autista apresentam deficiência intelectual...

ler mais
Transtorno de Humor Bipolar e Transtorno do Espectro Autista

Transtorno de Humor Bipolar e Transtorno do Espectro Autista

O Transtorno Bipolar - TB (alterações de humor com episódios depressivos e especialmente de mania) é relativamente comum entre pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), com uma prevalência de até 27%. Embora essa relação ainda não esteja totalmente elucidada,...

ler mais