Blog

Como trabalhar cognição social no Transtorno do Espectro Autista

08/04/2021

Trabalhar a cognição social é essencialmente estimular habilidades sociais que são regras e/ou costumes que orientam nossas relações interpessoais. Alguns exemplos: olhar nos olhos, compartilhar objetos, saber o momento de falar e de escutar em uma conversa, aprender a gerenciar as próprias emoções, entender como os outros se sentem etc.

No Transtorno do Espectro Autista (TEA), essas habilidades precisam ser ensinadas/treinadas por meio de estratégias– que, idealmente, envolverão família, equipe multidisciplinar e escola – e do uso de reforço positivo. Algumas estratégias eficientes:

🧩Utilização de histórias sociais que mostrem um passo-a-passo acessível a respeito de comportamentos esperados para a resolução de problemas do dia a dia;
🧩Uso de situações cotidianas para estimular a Teoria da Mente. Ex.: a criança com TEA briga com um colega e tem dificuldade em entender que ele não gostou do que aconteceu. A melhor estratégia é chamar o colega e pedir que ele explique o que sentiu diante da briga. Isso é essencial para ajudar no processo de compreensão sobre o que o outro pensa e predizer comportamentos (habilidade que precisa ser estimulada no TEA).
🧩Utilização de histórias sociais associadas a perguntas que ajudem a compreender Teoria da Mente.
🧩Utilização de fotos/imagens para reconhecimento das emoções (“triste”, “feliz”, “com medo”). Respeitar a etapa do aprendizado em que a criança se encontra, para explicar o que causou cada emoção – trabalhando, como ex., Estilo de Atribuição (capacidade de conseguir estabelecer relação de causa e efeito).
🧩Brincadeiras em grupo, onde, junto aos pares, será possível estimular, na prática, as mais diversas habilidades sociais (como cumprimentar, olhar nos olhos, compartilhar, esperar a vez, momento de escutar e de falar etc.).
🧩Uso adequado de vídeos e/ou jogos online que ajudem a compreender linguagem corporal e comunicação de forma geral.

Essas são apenas dicas gerais, pois as estratégias deverão ser elaboradas de maneira individual após avaliação do repertório da criança com TEA, respeitando suas particularidades.

Dra. Deborah Kerches

Dra. Deborah Kerches
Neuropediatria e Saúde Mental Infantojuvenil
Especialista em Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Últimas publicações

Exposição às telas X Bloqueio da melatonina nas crianças

Exposição às telas X Bloqueio da melatonina nas crianças

A luz azul emitida pela maioria das telas (tablets, celulares, computadores) contribui para prejuízos na secreção (produção e liberação) da melatonina, hormônio que regula o ciclo do sono e da vigília, além de participar da reparação cerebral, atuar na regulação de...

ler mais
Comportamento social e brincar social

Comportamento social e brincar social

O comportamento social e brincar social dizem respeito a engajar-se em comportamentos de conversação e cooperação com os pares e outros de maneira funcional e apropriada para o contexto, incluindo desde interações simples até a participação em brincadeiras simbólicas...

ler mais
O brincar no Transtorno do Espectro Autista (TEA)

O brincar no Transtorno do Espectro Autista (TEA)

O brincar ocorre de forma natural para crianças com desenvolvimento típico. Crianças no espectro autista, porém, apresentam déficits em diferentes habilidades que fazem com que o brincar seja algo a ser aprendido. Dessa forma, é necessário ensinar a criança a brincar,...

ler mais
Imitação e atividades de vida diárias

Imitação e atividades de vida diárias

A imitação é uma habilidade inata e é essencial para os nossos inúmeros aprendizados. Desde o nascimento vamos sendo apresentados às mais diversas experiências, as quais possibilitam, por meio da observação dos outros, aprender através da imitação de gestos, sons,...

ler mais
Atenção compartilhada

Atenção compartilhada

A atenção compartilhada (AC) é a habilidade de coordenar a atenção entre dois parceiros comunicativos sociais em relação a um terceiro referencial externo, como um objeto, atividade (Tomasello, 2003), engajando, assim, em uma mesma atividade com o outro,...

ler mais
Transtornos do neurodesenvolvimento

Transtornos do neurodesenvolvimento

Os Transtornos do neurodesenvolvimento são condições que ocorrem devido a alterações no desenvolvimento cerebral que persistem ao longo da vida. Características dos Transtornos do neurodesenvolvimento ✔️ sintomas têm início precoce, antes da idade escolar; ✔️ déficits...

ler mais
Sinais de alerta para autismo nos 2 primeiros anos de vida

Sinais de alerta para autismo nos 2 primeiros anos de vida

Quando falamos em Transtorno do Espectro Autista, logo alertamos para a importância do diagnóstico e intervenções precoces, pensando, sobretudo, em aproveitar as janelas de oportunidades da primeira infância, período em que o cérebro se encontra mais “plástico” (ou...

ler mais
Capacidade de atenção

Capacidade de atenção

O tempo estimado no qual uma criança consegue se manter atenta e concentrada em uma atividade é de 3 a 5 minutos por ano da criança. Conforme os anos passam, esse período de atenção deve aumentar. Não devemos avaliar o tempo de atenção quando a criança está na TV ou...

ler mais