Blog

Desenvolvimento Neuropsicomotor aos 6 anos e seus sinais de alerta

18/08/2020

Aos 6 anos a criança apresenta habilidades de linguagem bem desenvolvidas, sendo capaz de aprender palavras e fazer frases mais complexas o que aumenta a compreensão da informação verbal; pronuncia melhor as palavras, participa de discussões em grupo, toma a sua vez de falar de forma adequada em conversações, diz claramente o que quer e o que não quer fazer, reconta histórias, explica experiências de forma mais coesa, sequencial e elaborada, apresenta melhor memória auditiva, mostra que é capaz de fazer escolhas e que gosta de ser incluída nas decisões que lhe dizem diretamente respeito, gosta de brincar em grupo. A participação em jogos ajuda a promover a sua personalidade (aprende a saber lidar com a timidez, a submissão, a vaidade, a liderança), com a integração na escola, forma novas amizades e aumenta as suas relações, desenvolve novos interesses, começa a ser alfabetizado. É capaz de desempenhar pequenas tarefas como colocar talheres à mesa, ajudar em pequenos cuidados com um irmão mais novo, entre outras. Consegue chutar uma bola em movimento, apresenta boa coordenação motora global e fina, faz boa preensão e pegada no lápis ou caneta.

Fique alerta se a criança de 6 anos não fala ou fala porém não se comunica socialmente, não apresenta intenção ou iniciativa comunicativa ou fala somente de assuntos de interesse, apresenta prejuízos na interação social e no contato visual, faz ecolalias, estereotipias, é literal, tem baixa tolerância a frustrações e à mudanças de rotina, apresenta alterações sensoriais, é desatento, inquieto demais, apresenta dificuldades pedagógicas e alteração de tônus muscular, não executa pequenas tarefas de AVD/s.

Dra. Deborah Kerches

Dra. Deborah Kerches
Neuropediatria e Saúde Mental Infantojuvenil
Especialista em Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Últimas publicações

Masking é prejudicial no TEA?

Masking é prejudicial no TEA?

A camuflagem social ou masking envolve um conjunto de estratégias que visam “camuflar”, “mascarar” comportamentos característicos do TEA a fim de se adaptar e atender às expectativas dos mais diversos contextos sociais. A camuflagem social também é uma estratégia...

ler mais
Prematuridade e autismo: existe alguma relação?

Prematuridade e autismo: existe alguma relação?

Muitas pesquisas têm se dedicado a descobrir se o nascimento prematuro contribui de alguma forma para maior risco de autismo, ou, ainda, se prematuridade e autismo podem compartilhar influências genéticas ou ambientais. Um estudo recente, considerado o de maior...

ler mais
O que você sabe sobre gagueira?

O que você sabe sobre gagueira?

A gagueira é um distúrbio neurobiológico da fluência da fala, que se manifesta na infância, podendo persistir na vida adulta. Até 3-4 anos pode ser considerado disfluência e faz parte do processo da linguagem. Quando persiste ou surge depois dessa idade, merece...

ler mais

Bullying e Transtorno do Espectro Autista

O bullying corresponde à prática de atos intencionais de violência, física ou psicológica, cometidos por um ou mais agressores contra um indivíduo ou grupo. Pode gerar prejuízos significativos na vida de muitas crianças e adolescentes, tendo eles desenvolvimento...

ler mais
Nunca foi tão importante falar sobre Saúde Mental

Nunca foi tão importante falar sobre Saúde Mental

Nunca foi tão importante falar sobre Saúde Mental. O aumento de transtornos ansiosos e transtornos de humor, especialmente depressão, entre adolescentes e jovens têm sido significativo nos últimos anos. A situação torna-se ainda mais preocupante com essa pandemia...

ler mais
Cérebro feminino e Transtorno do Espectro Autista

Cérebro feminino e Transtorno do Espectro Autista

🧠Há particularidades no funcionamento cerebral feminino e comportamentos que impactam na apresentação das características do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e justificam por que o diagnóstico costuma ser mais tardio em meninas. 🧠Estudos sugerem que o cérebro...

ler mais