Blog

Leite Materno e seus benefícios para o desenvolvimento infantil

03/08/2021

A Semana Mundial do Aleitamento Materno, de 1 a 7 de agosto, aborda o tema “Proteger a Amamentação: uma responsabilidade de todos”.

O leite materno é o melhor alimento nos 2 primeiros anos de vida, sendo muito importante para o neurodesenvolvimento e nas mais diversas áreas.

🤱🏼É rico em:
COLINA: precursor da acetilcolina – neurotransmissor relacionado à memória, ao humor, ao controle muscular e a outras funções do cérebro e do sistema nervoso.

FERRO: cofator de enzimas cerebrais envolvidas na síntese de diversos componentes e, também, parte estrutural do grupo HEME dos eritrócitros.

ZINCO: tem diferentes funções na neurogênese (processo de formação de novos neurônios no cérebro), maturação e migração neuronal, e na formação do cérebro depois do nascimento.

PREBIÓTICOS: importantes para o desenvolvimento da microbiota intestinal (população de micro-organismos que habitam o trato gastrointestinal, tendo como funções manter sua integridade e controlar a proliferação de bactérias patogênicas, que podem causar doençaa e inflamações ).

LCPUFAs: DHA – ácido docosahexaenóico (Ômega-3) – e ARA – ácido araquidônico (Ômega-6) -, que favorecem o desenvolvimento cerebral (neurônios e mielina), da retina (visual), metabólico e do sistema imunológico.

MFGM: membrana dos glóbulos de gordura do leite (fosfolipídios, glicolipídios, proteínas e glicoproteínas), que têm papel importante no desenvolvimento imunológico e cognitivo.

🤱🏼A recomendação é que o bebê seja alimentado exclusivamente com leite materno nos primeiros 6 meses, levando em conta que este leite atende a todas as suas necessidades físicas.

A amamentação promove as primeiras oportunidades de interação e comunicação social entre a mãe e o bebê; de afeto; do contato visual, que é pré-requisito para os mais diversos aprendizados.

Quando não é possível amamentar, ou torna-se necessário associar a amamentação com fórmulas enriquecidas com componentes semelhantes ao leite materno, o ato de alimentar o bebê continua sendo essencial para o seu desenvolvimento e para o vínculo entre mãe e filho. Por isso, é importante sempre oportunizar aconchego, interação e afeto nesse momento.

Dra. Deborah Kerches

Dra. Deborah Kerches
Neuropediatria e Saúde Mental Infantojuvenil
Especialista em Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Últimas publicações

Cefaleia na infância e adolescência

Cefaleia na infância e adolescência

A cefaléia (dor de cabeça) é uma das queixas mais comuns da infância e adolescência. Elas deixam de brincar, querem ficar em um quarto escuro, deitadas, parecem indispostas, cansadas e podem apresentar náuseas e vômitos. O impacto das cefaleias crônicas, como a...

ler mais