Blog

Lobo temporal e cérebro feminino: impactos no TEA

12/03/2023

Já se reconhece que o diagnóstico do Transtorno do Espectro Autista (TEA) em meninas/mulheres, especialmente no caso daquelas que se encontram no espectro nível 1 de suporte, é mais desafiador, por diferentes motivos.

Um dos grandes fatores que contribuem para isso diz respeito a diferenças (mesmo que sutis) no funcionamento cerebral feminino, sendo que, em relação ao TEA, destaca-se a maior densidade de neurônios em áreas relacionadas à linguagem (que contempla característica central no TEA), associada à maior habilidade para imitação, habilidades sociais, comunicativas e empatia (SKUSE, 2009).

Estudos relatam que o cérebro feminino conta com uma densidade maior de neurônios no lobo temporal, área que está diretamente relacionada a questões perceptivas, cognitivas e emocionais – que estão comprometidas no TEA.

No lobo temporal, a área facial fusiforme é responsável pelo reconhecimento e distinção de expressões faciais, essenciais para compreender estados mentais e predizer o comportamento dos outros, bem como para a empatia.

O giro temporal superior, por vez, está relacionado com o processamento de informações auditivas e interpretação da fala. Já o giro temporal inferior, está relacionado a determinadas características da fala, como o controle da entonação, intensidade e melodia (por exemplo, pelo tom e entonação da voz, compreendemos o estado mental do outro).

Ainda no lobo temporal, encontramos uma estrutura chamada hipocampo, relacionado ao controle e gerenciamento da memória. Cada acontecimento que vivemos, sentimos e experimentamos é filtrado pelo hipocampo, que junto com o hipotálamo permite que possamos nos lembrar não somente das experiências, mas também daquilo que sentimos em relação a elas.

Dessa forma, uma maior densidade de neurônios e um melhor funcionamento nessa área do cérebro com TEA feminino representam prejuízos perceptivos, emocionais e cognitivos mais sutis.

Em outras palavras, resultam num cérebro naturalmente mais social, mais flexível, com maior capacidade de imitação, empatia e para habilidades sociais esperadas nos relacionamentos interpessoais.

Dra. Deborah Kerches

Dra. Deborah Kerches
Neuropediatria e Saúde Mental Infantojuvenil
Especialista em Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Últimas publicações

Transtorno de Pânico e Transtorno do Espectro Autista

Transtorno de Pânico e Transtorno do Espectro Autista

O Transtorno de Pânico (TP) é caracterizado por ataques de pânico recorrentes e inesperados (podendo ocorrer mais de 1x no dia) e em pelo menos um dos ataques foi seguido por 1 mês ou mais de preocupação persistente de ter novo ataque e/ou alteração comportamental...

ler mais
Ataque de pânico em crianças

Ataque de pânico em crianças

📌Ataque de pânico é uma crise de intenso medo e/ou ansiedade que atinge seu pico de intensidade em torno de 10 minutos e dura por volta de 10 a 30 minutos, acompanhada de sintomas físicos. Embora “breve”, parece durar uma eternidade. É mais frequente em adultos e...

ler mais
Ataques de pânico noturnos em crianças

Ataques de pânico noturnos em crianças

Ataques de pânico podem ocorrer em qualquer momento do dia, porém, os noturnos apresentam algumas particularidades. Se diferenciam dos diurnos exatamente por serem ainda mais inesperados (sem qualquer previsibilidade sobre sinais que o antecedem). O ataque de pânico...

ler mais
Tratamento no TDAH

Tratamento no TDAH

O TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade) é o transtorno neurobiológico mais comum da infância e frequentemente acompanha o indivíduo até a fase adulta. Seu diagnóstico é clínico e possui critérios operacionais bastante claros e definidos. Possui 3...

ler mais
Transtorno do Estresse Pós-Traumático e TEA

Transtorno do Estresse Pós-Traumático e TEA

O Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT) se apresenta como reação a um evento traumático e envolve memórias recorrentes e intrusivas do(s) evento(s), com consequente entorpecimento emocional, aumento da tensão e do estado de alerta. Geralmente se inicia nos...

ler mais
Síndrome de Rett e Transtorno do Espectro Autista

Síndrome de Rett e Transtorno do Espectro Autista

🧬A Síndrome de Rett (SR) é uma condição do neurodesenvolvimento relativamente rara, genética, ligada ao X, não hereditária, com prevalência em torno de 1/10-20 mil meninas. É associada a mutações no gene MECP2, localizado no cromossomo X, responsável pela produção de...

ler mais
Síndrome de Rubinstein-Taybi

Síndrome de Rubinstein-Taybi

🧬A Síndrome de Rubinstein-Taybi (SRT), é uma síndrome rara, com prevalência estimada em 1:125 mil nascidos vivos. Observam-se baixa estatura, atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, polegares e hálux alargados e angulados, deficiência intelectual, frequentemente...

ler mais
Síndrome Gand e Transtorno do Espectro Autista

Síndrome Gand e Transtorno do Espectro Autista

A Síndrome GAND é um transtorno do neurodesenvolvimento, de origem genética, caracterizado por atraso do desenvolvimento neuropsicomotor e do desenvolvimento intelectual, de moderado a grave. 🧬As crianças evoluem com atraso na aquisição da fala e podem manifestar...

ler mais
Síndrome de Dravet

Síndrome de Dravet

A Síndrome de Dravet (SD) ou epilepsia mioclônica grave da infância é uma forma rara e grave de epilepsia, de origem genética, com crises epilépticas de difícil controle geralmente refratárias a fármacos antiepilépticos, acompanhadas por déficits em várias áreas do...

ler mais
Seu filho consegue permanecer sentado?

Seu filho consegue permanecer sentado?

Ser capaz de permanecer sentado é uma importante habilidade de aprendiz, um comportamento pré-requisito para inúmeros aprendizados, incluindo habilidades acadêmicas como leitura e escrita, além de ser um comportamento socialmente relevante. Precisamos permanecer...

ler mais