Blog

Trocas de turno comunicativas no Transtorno do Espectro Autista

20/11/2020

As trocas de turno comunicativas consistem em atos comunicativos com trocas interativas, relacionais. Envolve pedir o que deseja para um parceiro social e após, aguardar a resposta e/ou a solicitação deste parceiro, favorecendo uma interação.

Comunicação social é troca. Os atos comunicativos podem ser verbais, vocais, gestuais, por instrumentos de comunicação alternativas.

Trocas de turno comunicativas e Transtorno do Espectro Autista

No Transtorno do Espectro Autista, déficits na linguagem receptiva e expressiva, no comportamento de ouvinte, na intenção e iniciativa comunicativa, na reciprocidade socioemocional, na Teoria da mente, no interesse entre os pares, impactam negativamente neste mecanismo de troca, de dar e receber, de comunicação interativa.

Dessa forma, para “não precisar pedir e compartilhar”, pessoas com TEA costumam se comportar de maneira mais independente ou usar os cuidadores como “ferramenta”, sem interação.

A independência está relacionada ao fazer sem a ajuda do outro, habilidade importante a ser conquistada por todos, porém, no TEA, pode se desenvolver até mais precocemente, consequente às dificuldades de comunicação. Tendo maior independência, a criança, por exemplo, percebe que pode ter tudo o que quer no seu tempo, ao seu modo, sem precisar se comunicar.

Por tudo isso, a troca comunicativa deve sempre ser trabalhada em crianças, adolescentes, adultos com TEA, sendo estes verbais ou não, para que eles aprendam a pedir, tenham iniciativa, se interessem e tenham prazer com esta interação.

Nas crianças, podemos favorecer as trocas de turno comunicativas através de ações simples como criar algumas barreiras à independência da criança para que ela precise se comunicar; repetir o que a criança quer; pedir para ela apontar o que quer (dar o modelo s/n) e após, entregar imediatamente; ofertar brincadeiras que a motivem e que dependam de um parceiro, entre outras.

E… valorizar sempre qualquer forma de comunicação para que a criança se sinta feliz, engajada, motivada e interessada a fazer uma troca comunicativa.

Dra. Deborah Kerches

Dra. Deborah Kerches
Neuropediatria e Saúde Mental Infantojuvenil
Especialista em Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Últimas publicações

Nunca foi tão importante falar sobre Saúde Mental

Nunca foi tão importante falar sobre Saúde Mental

Nunca foi tão importante falar sobre Saúde Mental. O aumento de transtornos ansiosos e transtornos de humor, especialmente depressão, entre adolescentes e jovens têm sido significativo nos últimos anos. A situação torna-se ainda mais preocupante com essa pandemia...

ler mais
Cérebro feminino e Transtorno do Espectro Autista

Cérebro feminino e Transtorno do Espectro Autista

🧠Há particularidades no funcionamento cerebral feminino e comportamentos que impactam na apresentação das características do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e justificam por que o diagnóstico costuma ser mais tardio em meninas. 🧠Estudos sugerem que o cérebro...

ler mais
Cérebro e Neuroplasticidade

Cérebro e Neuroplasticidade

O desenvolvimento do cérebro humano inicia-se ainda no período intrauterino, o que vai estabelecer a arquitetura básica, funcionamento e conectividade cerebral do bebê. Qualquer insulto ou prejuízo já nessa fase pode impactar negativamente em relação à saúde física,...

ler mais
Transtorno de Pânico e Transtorno do Espectro Autista

Transtorno de Pânico e Transtorno do Espectro Autista

O Transtorno de Pânico (TP) é caracterizado por ataques de pânico recorrentes e inesperados (podendo ocorrer mais de 1x no dia) e em pelo menos um dos ataques foi seguido por 1 mês ou mais de preocupação persistente de ter novo ataque e/ou alteração comportamental...

ler mais
Ataque de pânico em crianças

Ataque de pânico em crianças

📌Ataque de pânico é uma crise de intenso medo e/ou ansiedade que atinge seu pico de intensidade em torno de 10 minutos e dura por volta de 10 a 30 minutos, acompanhada de sintomas físicos. Embora “breve”, parece durar uma eternidade. É mais frequente em adultos e...

ler mais
Ataques de pânico noturnos em crianças

Ataques de pânico noturnos em crianças

Ataques de pânico podem ocorrer em qualquer momento do dia, porém, os noturnos apresentam algumas particularidades. Se diferenciam dos diurnos exatamente por serem ainda mais inesperados (sem qualquer previsibilidade sobre sinais que o antecedem). O ataque de pânico...

ler mais
Tratamento no TDAH

Tratamento no TDAH

O TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade) é o transtorno neurobiológico mais comum da infância e frequentemente acompanha o indivíduo até a fase adulta. Seu diagnóstico é clínico e possui critérios operacionais bastante claros e definidos. Possui 3...

ler mais