Blog

Critérios diagnósticos para o Transtorno de Oposição Desafiante (TOD)

09/08/2021

É importante conhecer os critérios diagnósticos para o Transtorno de Oposição Desafiante (TOD) porque muitos comportamentos inapropriados têm sido diagnosticados como TOD equivocadamente. De acordo com o DSM-5 são:

✅A. Padrão de humor raivoso/irritável, de comportamento questionador/desafiante ou índole vingativa
com duração de ao menos 6 meses, com ao menos 4 sintomas seguintes, na interação com pelo menos um indivíduo que não seja um irmão.

Humor Raivoso/Irritável – Com frequência:
1. Perde a calma.
2. É sensível ou facilmente incomodado.
3. É raivoso e ressentido.

Comportamento Questionador/Desafiante – Frequentemente:
4. Questiona figuras de autoridade ou, no caso de crianças e adolescentes, adultos.
5. Desafia ou se recusa a obedecer regras ou pedidos de figuras de autoridade.
6. Incomoda deliberadamente outras pessoas.
7. Culpa outros por seus erros ou mau comportamento.

Índole Vingativa
8. Foi malvado ou vingativo pelo menos 2 x nos últimos 6 meses.

Exceto se preencher o critério A8; em menores de 5 anos, o comportamento deve ocorrer na maioria dos dias, no mínimo por 6 meses e em maiores de 5 anos, deve ocorrer pelo menos 1x por semana no mínimo 6 meses.
A frequência e intensidade dos comportamentos estão fora do esperado para o nível de desenvolvimento.

✅B. Está associada a sofrimento para o indivíduo ou para os outros em seu contexto social ou causa prejuízos no funcionamento social, educacional, profissional ou outras
áreas importantes da vida do indivíduo.

✅C. Os comportamentos não ocorrem exclusivamente durante o curso de qualquer outro transtorno.

✅Níveis de gravidade:
Leve: Os sintomas limitam-se a apenas 1 ambiente.
Moderada: sintomas presentes em pelo menos 2 ambientes.
Grave: presentes em 3 ou mais ambientes.

✅A prevalência varia de 1-11%, média de 3,3% e é mais prevalente em meninos 1,4:1 antes da adolescência. Pode se apresentar como comorbidade do TEA, TDAH, entre outras condições ou transtornos do neurodesenvolvimento.

✅O tratamento consiste em terapia comportamental, suporte familiar e escolar, e, em alguns casos, farmacoterapia associada.

Dra. Deborah Kerches

Dra. Deborah Kerches
Neuropediatria e Saúde Mental Infantojuvenil
Especialista em Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Últimas publicações

Nunca foi tão importante falar sobre Saúde Mental

Nunca foi tão importante falar sobre Saúde Mental

Nunca foi tão importante falar sobre Saúde Mental. O aumento de transtornos ansiosos e transtornos de humor, especialmente depressão, entre adolescentes e jovens têm sido significativo nos últimos anos. A situação torna-se ainda mais preocupante com essa pandemia...

ler mais
Cérebro feminino e Transtorno do Espectro Autista

Cérebro feminino e Transtorno do Espectro Autista

🧠Há particularidades no funcionamento cerebral feminino e comportamentos que impactam na apresentação das características do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e justificam por que o diagnóstico costuma ser mais tardio em meninas. 🧠Estudos sugerem que o cérebro...

ler mais
Cérebro e Neuroplasticidade

Cérebro e Neuroplasticidade

O desenvolvimento do cérebro humano inicia-se ainda no período intrauterino, o que vai estabelecer a arquitetura básica, funcionamento e conectividade cerebral do bebê. Qualquer insulto ou prejuízo já nessa fase pode impactar negativamente em relação à saúde física,...

ler mais
Transtorno de Pânico e Transtorno do Espectro Autista

Transtorno de Pânico e Transtorno do Espectro Autista

O Transtorno de Pânico (TP) é caracterizado por ataques de pânico recorrentes e inesperados (podendo ocorrer mais de 1x no dia) e em pelo menos um dos ataques foi seguido por 1 mês ou mais de preocupação persistente de ter novo ataque e/ou alteração comportamental...

ler mais
Ataque de pânico em crianças

Ataque de pânico em crianças

📌Ataque de pânico é uma crise de intenso medo e/ou ansiedade que atinge seu pico de intensidade em torno de 10 minutos e dura por volta de 10 a 30 minutos, acompanhada de sintomas físicos. Embora “breve”, parece durar uma eternidade. É mais frequente em adultos e...

ler mais
Ataques de pânico noturnos em crianças

Ataques de pânico noturnos em crianças

Ataques de pânico podem ocorrer em qualquer momento do dia, porém, os noturnos apresentam algumas particularidades. Se diferenciam dos diurnos exatamente por serem ainda mais inesperados (sem qualquer previsibilidade sobre sinais que o antecedem). O ataque de pânico...

ler mais
Tratamento no TDAH

Tratamento no TDAH

O TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade) é o transtorno neurobiológico mais comum da infância e frequentemente acompanha o indivíduo até a fase adulta. Seu diagnóstico é clínico e possui critérios operacionais bastante claros e definidos. Possui 3...

ler mais
Transtorno do Estresse Pós-Traumático e TEA

Transtorno do Estresse Pós-Traumático e TEA

O Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT) se apresenta como reação a um evento traumático e envolve memórias recorrentes e intrusivas do(s) evento(s), com consequente entorpecimento emocional, aumento da tensão e do estado de alerta. Geralmente se inicia nos...

ler mais