Blog

Prevenção ao suicídio no Transtorno do Espectro Autista

10/09/2020

No contexto do Setembro Amarelo, é essencial destacarmos que adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA) apresentam 11 a 14% mais chances de tentativas de suicídio e suicídio propriamente dito quando comparados aos pares com desenvolvimento típico.
Um fator relacionado a esse risco aumentado é o próprio fato de condições de saúde mental concomitantes serem mais prevalentes na população com TEA, como transtornos ansiosos, depressão, transtorno obsessivo compulsivo, entre outras.

O autoextermínio é mais comum entre pessoas com TEA que estão no nível 1 (leve), isso porque estas possuem maior consciência sobre suas dificuldades diante da vida em sociedade e, muitas vezes, sentem forte cobrança para que se comportem de maneira considerada “normal”. Não é fácil tentar se adequar socialmente e não ser aceito como é.

Os desafios em se relacionarem com os pares, a possibilidade de bullying e/ou de exclusão podem fazer com que a pessoa com TEA sinta que sua dor é insuportável e interminável, o que pode levá-la ao desejo de tirar sua própria vida.
Esta questão merece ainda mais atenção na adolescência, fase em que, especialmente naqueles mais funcionais, costuma haver o desejo maior em se vincularem e pertencerem a algum grupo social.
Profissionais da saúde, familiares e pessoas do convívio devem estar atentos a qualquer mudança comportamental que alerte para sofrimento psíquico.

Nem toda pessoa (estando no espectro ou não) faz ameaças sobre se suicidar e/ou demonstra esse intuito (os sinais podem ser sutis); ao mesmo tempo, fala e comportamento sobre ideação suicida devem ser valorizados.
A avaliação cuidadosa da saúde mental é um componente essencial nos cuidados com todas as pessoas, especialmente em adolescentes e adultos com TEA. Um olhar humanizado, uma investigação criteriosa, além de acolhimento e amor podem salvar vidas!

Dra. Deborah Kerches

Dra. Deborah Kerches
Neuropediatria e Saúde Mental Infantojuvenil
Especialista em Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Últimas publicações

Puberdade em meninos no Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Puberdade em meninos no Transtorno do Espectro Autista (TEA)

A puberdade é o processo que leva à maturidade sexual e capacidade de reprodução. Em meninos, começa entre 10 e 14 anos e dura por volta de 3 anos. Compreender e lidar com as transformações desta fase, não é tarefa fácil e pode ser ainda mais desafiador para os...

ler mais
Puberdade em meninas com TEA

Puberdade em meninas com TEA

A puberdade é o período de transição da infância para a fase adulta, marcada por diversas transformações físicas, hormonais, emocionais e de maturação do sistema nervoso central. Em meninas, cerca de 2 a 2,5 anos antes da menarca, o corpo já começa a se transformar....

ler mais
O que é Motricidade

O que é Motricidade

A motricidade é a expressão dos movimentos e vai se construindo desde o nascimento. Envolve o ato motor, planejamento motor, percepções sensoriais, equilíbrio, tônus e força muscular, lateralidade, habilidades cognitivas e intelectuais, ritmo, persistência e controle...

ler mais
Deficiência Intelectual e Transtorno do Espectro Autista

Deficiência Intelectual e Transtorno do Espectro Autista

Deficiência intelectual ou Transtorno do desenvolvimento intelectual é caracterizado por funcionamento cognitivo e intelectual que não correspondem à média esperada. Aproximadamente 30-40% das pessoas que estão no espectro autista apresentam deficiência intelectual...

ler mais
Transtorno de Humor Bipolar e Transtorno do Espectro Autista

Transtorno de Humor Bipolar e Transtorno do Espectro Autista

O Transtorno Bipolar - TB (alterações de humor com episódios depressivos e especialmente de mania) é relativamente comum entre pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), com uma prevalência de até 27%. Embora essa relação ainda não esteja totalmente elucidada,...

ler mais
Transtorno de Humor Bipolar

Transtorno de Humor Bipolar

O Transtorno Bipolar (TB) é caracterizado por alterações de humor que vão de episódios depressivos a episódios de mania (sintomas relacionados a humor elevado), com ciclos que podem durar de dias até meses. Os critérios diagnósticos do DSM 5 incluem mudanças...

ler mais