Blog

Risco de obesidade infantil e condições do neurodesenvolvimento

03/06/2021

Algumas condições do neurodesenvolvimento e/ou deficiências, por diversos fatores, acarretam mais riscos de desenvolver obesidade entre crianças.

No Transtorno do Espectro Autista (TEA), por ex., o risco é aumentado devido a particularidades da condição, como: padrões alimentares seletivos e repetitivos (que podem incluir alimentos calóricos, o uso de alimentos como reforçadores, dificuldades na aceitação de alimentos mais nutritivos); uso de medicações que podem contribuir para o ganho de peso; distúrbios de sono; ansiedade; compulsão alimentar; sedentarismo, entre outras.
No Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), há alterações no sistema de recompensa cerebral, o que pode fazer com que crianças e adolescentes com essa condição comam mais exatamente para obterem a recompensa e a motivação que o ambiente não lhes proporciona. Há também maior tendência para se desenvolver ansiedade (que está intimamente relacionada ao ganho de peso) que pode contribuir para uma alimentação mais inadequada.
Na Síndrome de Down, por vez, podem apresentar tendência à hiperfagia (ingestão compulsiva de alimentos), além de metabolismo basal cerca de 10 a 15% mais baixo em relação a outros grupos e menor tônus muscular o que pode dificultar a prática de exercícios físicos em alguns casos.

Vale ressaltar que, em qualquer situação, exposição a um tempo excessivo de telas predispõe a maior risco para obesidade.

Esses são apenas alguns exemplos de como certas condições podem aumentar o risco para desenvolvimento da obesidade – o que pede um olhar atento para que essa possível comorbidade seja tratada com a devida atenção. Crianças obesas têm mais chances de serem adultos obesos e desenvolverem doenças crônicas (diabetes, hipertensão), além de problemas de saúde física até psicossociais, que já podem começar a se manifestar na infância e que em muito prejudicam a qualidade de vida, como baixa autoestima, dificuldades de socialização, bullying, ansiedade e depressão.
Exercícios físicos, dieta equilibrada e uma boa qualidade de sono são fundamentais na prevenção e acompanhamento da obesidade.

Dra. Deborah Kerches

Dra. Deborah Kerches
Neuropediatria e Saúde Mental Infantojuvenil
Especialista em Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Últimas publicações

Transtorno do Espectro Autista na CID-11

Transtorno do Espectro Autista na CID-11

🚨Atualização: No relatório final do site oficial da Organização Mundial da Saúde (OMS), não consta o código 6A02.4. site: https://icd.who.int/browse11/l-m/en 🧩Dessa forma constam os seguintes códigos para TEA na CID 11. 6A02 – Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)...

ler mais
“O mundo pede saúde mental”

“O mundo pede saúde mental”

O mundo pede saúde mental”. Esse é o alerta da campanha Janeiro Branco de 2022, que chega, mais uma vez, com o objetivo de colocar em pauta questões e necessidades relacionadas à Saúde Mental. É um convite para que possamos estar atentos à nossa própria saúde mental e...

ler mais

Natal: dicas para crianças com autismo

O período de fim de ano traz à tona aspectos importantes relacionados a particularidades do Transtorno do Espectro Autista (TEA). Isso porque, acontecimentos e preparativos relacionados às festas de Natal e de Réveillon podem afetar, por diferentes motivos, crianças e...

ler mais
Autismo “leve” X Autismo “severo”

Autismo “leve” X Autismo “severo”

Muitas pessoas com autismo nível 1 (“leve”) relatam o quanto seus desafios costumam ser ignorados ou não valorizados. Isso se aplica ainda mais às meninas e mulheres no espectro nível 1. Da mesma maneira, autistas no nível 3 de suporte (“severo”) podem ter suas...

ler mais
Masking é prejudicial no TEA?

Masking é prejudicial no TEA?

A camuflagem social ou masking envolve um conjunto de estratégias que visam “camuflar”, “mascarar” comportamentos característicos do TEA a fim de se adaptar e atender às expectativas dos mais diversos contextos sociais. A camuflagem social também é uma estratégia...

ler mais
Prematuridade e autismo: existe alguma relação?

Prematuridade e autismo: existe alguma relação?

Muitas pesquisas têm se dedicado a descobrir se o nascimento prematuro contribui de alguma forma para maior risco de autismo, ou, ainda, se prematuridade e autismo podem compartilhar influências genéticas ou ambientais. Um estudo recente, considerado o de maior...

ler mais
O que você sabe sobre gagueira?

O que você sabe sobre gagueira?

A gagueira é um distúrbio neurobiológico da fluência da fala, que se manifesta na infância, podendo persistir na vida adulta. Até 3-4 anos pode ser considerado disfluência e faz parte do processo da linguagem. Quando persiste ou surge depois dessa idade, merece...

ler mais

Bullying e Transtorno do Espectro Autista

O bullying corresponde à prática de atos intencionais de violência, física ou psicológica, cometidos por um ou mais agressores contra um indivíduo ou grupo. Pode gerar prejuízos significativos na vida de muitas crianças e adolescentes, tendo eles desenvolvimento...

ler mais