Blog

Síndrome de Dravet

30/06/2021

A Síndrome de Dravet (SD) ou epilepsia mioclônica grave da infância é uma forma rara e grave de epilepsia, de origem genética, com crises epilépticas de difícil controle geralmente refratárias a fármacos antiepilépticos, acompanhadas por déficits em várias áreas do desenvolvimento associados frequentemente a comportamentos do espectro autista. Embora nem todas as crianças com SD com atrasos na linguagem e prejuízos sociais estejam no espectro, a grande maioria recebe o diagnóstico de TEA.

Há estudos relacionados ao gene SCN1A (mutações, apenas uma cópia funcional), localizado no cromossomo 2, e o desenvolvimento de comportamentos do espectro autista. Alterações no gene SCN1A são responsáveis por até 85% dos casos de SD e resultam na inibição dos interneurônios inibitórios gabaérgicos, com consequente hiperexcitabilidade cerebral, aumentando o risco de crises epilépticas e desorganização cerebral e, com isso, maior rigidez, sobrecarga sensorial, déficits e excessos comportamentais relacionados ao espectro.

Com relação ao quadro clínico da SD, o início é precoce (1 a 18meses), com crises febris que se tornam mais frequentes, evoluindo para outros tipos de crises (generalizadas, tônicas, mioclônicas, ausências, focais), desencadeadas por febre, banho quente ou qualquer aumento da temperatura corporal, estímulos luminosos, excitação e estresse, evoluindo com declínio do desenvolvimento global. O desenvolvimento é típico antes do início das crises porém há regressão após os 2 anos com deficiência intelectual, prejuízos motores, de equilíbrio, fala, sono, alimentares e, frequentemente, comportamentos do espectro autista. Há fotossensibilidade precoce.
O eletroencefalograma evidencia anormalidades focais e pontas e polipontas generalizadas (no início pode ser normal) e na suspeita deve-se fazer o sequenciamento do gene SCN1A.
O tratamento consiste em controlar as crises epilépticas, identificar déficits no desenvolvimento e o TEA, para intervir precocemente visando favorecer o desenvolvimento, habilidades comunicativas e de interação social, manejo comportamental, autonomia e qualidade de vida.

Dra. Deborah Kerches

Dra. Deborah Kerches
Neuropediatria e Saúde Mental Infantojuvenil
Especialista em Transtorno do Espectro Autista (TEA)

Últimas publicações

Transtorno do Espectro Autista na CID-11

Transtorno do Espectro Autista na CID-11

🚨Atualização: No relatório final do site oficial da Organização Mundial da Saúde (OMS), não consta o código 6A02.4. site: https://icd.who.int/browse11/l-m/en 🧩Dessa forma constam os seguintes códigos para TEA na CID 11. 6A02 – Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)...

ler mais
“O mundo pede saúde mental”

“O mundo pede saúde mental”

O mundo pede saúde mental”. Esse é o alerta da campanha Janeiro Branco de 2022, que chega, mais uma vez, com o objetivo de colocar em pauta questões e necessidades relacionadas à Saúde Mental. É um convite para que possamos estar atentos à nossa própria saúde mental e...

ler mais

Natal: dicas para crianças com autismo

O período de fim de ano traz à tona aspectos importantes relacionados a particularidades do Transtorno do Espectro Autista (TEA). Isso porque, acontecimentos e preparativos relacionados às festas de Natal e de Réveillon podem afetar, por diferentes motivos, crianças e...

ler mais
Autismo “leve” X Autismo “severo”

Autismo “leve” X Autismo “severo”

Muitas pessoas com autismo nível 1 (“leve”) relatam o quanto seus desafios costumam ser ignorados ou não valorizados. Isso se aplica ainda mais às meninas e mulheres no espectro nível 1. Da mesma maneira, autistas no nível 3 de suporte (“severo”) podem ter suas...

ler mais
Masking é prejudicial no TEA?

Masking é prejudicial no TEA?

A camuflagem social ou masking envolve um conjunto de estratégias que visam “camuflar”, “mascarar” comportamentos característicos do TEA a fim de se adaptar e atender às expectativas dos mais diversos contextos sociais. A camuflagem social também é uma estratégia...

ler mais
Prematuridade e autismo: existe alguma relação?

Prematuridade e autismo: existe alguma relação?

Muitas pesquisas têm se dedicado a descobrir se o nascimento prematuro contribui de alguma forma para maior risco de autismo, ou, ainda, se prematuridade e autismo podem compartilhar influências genéticas ou ambientais. Um estudo recente, considerado o de maior...

ler mais
O que você sabe sobre gagueira?

O que você sabe sobre gagueira?

A gagueira é um distúrbio neurobiológico da fluência da fala, que se manifesta na infância, podendo persistir na vida adulta. Até 3-4 anos pode ser considerado disfluência e faz parte do processo da linguagem. Quando persiste ou surge depois dessa idade, merece...

ler mais

Bullying e Transtorno do Espectro Autista

O bullying corresponde à prática de atos intencionais de violência, física ou psicológica, cometidos por um ou mais agressores contra um indivíduo ou grupo. Pode gerar prejuízos significativos na vida de muitas crianças e adolescentes, tendo eles desenvolvimento...

ler mais